Do Porto com Amor: A Cartilha DPcA

A Cartilha DPcA


 

Cartilha Do Porto Com Amor (DPcA)



Actualização Jun/17: por ser anterior, por ser honrada e por ser minha, esta é que é a verdadeira cartilha. A infelicidade de posteriormente se ter designado um conjunto alargado de documentos compostos de argumentos falaciosos e desonestos não me fará alterar a minha designação. Porque esta é mesmo a única Cartilha a que dou valor. Muito.


  1. O blog DPCA dá voz apenas e só às opiniões, crenças, conjecturas e devaneios do seu autor.
  2. Sou Portuense de nascença e Portista de confissão e as duas são indissociáveis e indivisíveis. É para mim uma aberração um Portuense ser adepto de um clube de outra cidade, ainda mais se essa cidade for Lisboa, ainda mais se esse clube for o Sport Lisboa e Benfica. Aceito, mas não compreendo. É a antítese da minha definição de bairrismo e de amor à cidade que me viu nascer.
  3. Para mim, ser Portista é:

    a) Carregar em ombros a bandeira e o escudo da cidade e, ainda que de forma menos nítida, de toda a região Norte de Portugal;

    b) Expor e desafiar sem tréguas a macrocefalia centralista que há décadas nos diminui enquanto nação, sugando grande parte dos recursos e da riqueza (produzida e “importada”) para a região de Lisboa, promovendo um desenvolvimento desequilibrado, assimétrico e terrivelmente injusto para com o restante território nacional;

    c) Acreditar sempre na vitória, mesmo nas condições mais adversas, e lutar sempre por ela até ao fim, compensando eventuais desvantagens com maior tenacidade e sagacidade;

    d) Querer derrotar o Sport Lisboa e Benfica em toda e qualquer circunstância, em todo e qualquer desporto, sem admitir sequer o empate como minimamente satisfatório. Não odeio o SLB, nem os benfiquistas, nem sequer Lisboa. Respeito-os na mesma medida em que me respeitam a mim enquanto Portista e Portuense. Honestamente, são os melhores rivais do mundo. Mas dentro de campo, desejo ardentemente que percam sempre;

    e) Lutar com todas as forças contra o servilismo, assumido ou envergonhado, de grande parte da imprensa e dos media aos clubes da segunda circular, com grande preponderância para o SLB. O ódio e rancor que dedicam ao Porto é um direito que lhes assiste e que os define, mas não pode impunemente escamotear, viciar, adulterar ou distorcer a percepção de quem os vê, lê ou ouve, perante os quais aliás, deveriam ter uma obrigação de lealdade, se fossem gente séria.
  4. Pretendo igualmente com este blogue amplificar o toque a reunir, que desafie as minhas gentes a unirem-se e a mobilizarem-se como há muito não o fazem, ganhando força e dimensão para recuperar a dignidade que nos deixamos perder ao longo do tempo. Se quisermos, podemos. 



Lápis Azul e Branco



3 comentários:

  1. Do Mondego para cima esta Cartilha deveria ser ministrada obrigatoriamente nas escolas da pré-primária.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E com aprovação final de 100% ou repetição do ano :-)

      Na realidade, é só o meu sentimento e não quereria impô-lo a ninguém. Mas se o adoptassem de livre vontade (vá, com uns calduços à mistura), então já poderia ser...

      Eliminar
  2. Boas. Podes adicionar o Porta 26 à tua lista da Bluegosfera? Saudações Azuis e Brancas.

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.