Do Porto com Amor: Com os Nervos em Franja

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Com os Nervos em Franja


De: ventoinhas@slbenfica.pt 
Para: paulinho@slbenfica.pt; elmamute@slbenfica.pt; vito.lerpa@abolha.pt; intestino.delgado@abolha.pt; otario.ribeiro@lixodamanha.pt; pê.ribeiro@comercial.iol.pt; zenuno@lambebotas.pt; lulu.aguilar@maistabaco.pt; ruipêbrazeado@maistabaco.pt;
 Cc: senhor.director@pj.pt; senhora.pgr@pgr.pt; tony.chamuça@pmgov.pt; senhor.ceo@banco.intervencionado.pt; antoniometia@electricadoschineses.pt
Assunto: O que passou se?

Pronto, acabou-se o sossego. Quatro anos maravilhosos, quatro passeatas por Lisboa e o (pouco) que fora da grande capital ainda sobra de Portugal. Ah, aqueles gloriosos desfiles pelas províncias de norte a sul, ladeados por aquele povo saloio (tão desprezível quanto necessário para chegar aos quatorze milhões), apinhados em ondas de encarnado como se de colinas de papoulas se tratasse. O velho Mestre - o António de Oliveira, não o palerma do Nhaga - haveria de se orgulhar.



Tudo finalmente encaixado no desígnio divino para esta pequenota nação - e tinham de aparecer estes tipos (saloios, bandidos, ácaros, mentirosos, tudo!) para estragar a festa. Primeiro a cartilha, depois os apoios aos ilegais, os favores proibidos, os pedidos indecorosos e até o disfarce da bruxaria - os sacanas conseguiram saber de tudo e com provas escritas!

E como se não bastasse, prometeram mais. E melhor, veja-se bem! Tremo só de imaginar Agosto. E vejo bem que vocês também. Agora que todos sabem que trabalham para a grande causa, que são alguns dos nossos meninos mais queridos, nota-se que também vocês estão desnorteados (irra, que palavra feia).

Tu, Pedrinho, foste o primeiro. Fizeste tantos amigos em tanto lado que, às tantas, perdeste-lhes a conta. Mas olha, bem feito - a culpa é muito tua. Se calhar, toda. Para a próxima, apaga tudo imbecil.

E tu, pequeno Rui, vê-se bem que não sabes lidar com o meu sucesso. Fizeste questão de te afastar - para melhor nos defender, dizias tu - mas desde então só nos enterras. Até um puto da província te deu uma sova em directo na televisão. É que já nem te esforças para ser convincente a mentir, logo tu, que mentes como poucos.

E tu, Paulo? Pareces um elefante numa loja de porcelanas, pá. Sempre que te viras, fazes merd@. Porra, pá, ainda bem que não te pedi ajuda nos outros negócios. Com jeitinho, acabavas a enviar umas linhas de prenda de Natal ao director da PJ...

E vocês, queridos especialistas independentes? Engasgam-se a falar do Casillas: se vai, é porque é uma desgraça para eles; quando fica, é porque é uma desgraça ainda maior para eles. Caramba, assim nem os nossos acarditam - e olha que são do mais tapado que há. 

E tu, Zé Burro? Ris-te do único jornal desportivo que não nos bajula e chamas provincianos a quem o lê? Não sabes que na província estão mais de 90% dos nossos? Achas que eles gostam que os trates assim? Não, pá - são um pouco lerdos, mas não totalmente estúpidos (uma parte deles, vá). 

E vós, amigos do apito? Não achais que estais a ser demasiado óbvios? Calai-vos quando os gajos mostram o que andamos a fazer em equipa e agora tendes a lata de boicotar o sorteio? Já não vos lembrais de como era ser discreto?

Até o Sr. Dr. Zé Manel anda baralhado. Com a maior parte da sua equipa debaixo de fogo, perdeu o tino. Já não diz coisa com coisa.

É, amigos candeeiristas, a coisa complica-se. E eu começo a ficar ligeiramente preocupado - só ligeiramente, porque sei bem dos muitos amigos que temos em todo o lado e em especial em Cc. Mas preocupado. Estava tudo a correr tão bem... o que passou se?


Saveis que não fui eu quem escraveu isto, hum, hum? Eu falei, o Gamba escraveu em portugêz he he! Quer diser, agora fui. Masantes não. Olha, vos percebeis!

AGORA APAGUEM TUDO, FDX!



Do Porto com Amor,

Lápis Azul e Branco




6 comentários:

  1. Muito bom, lápis, muito bom.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Em grande forma Amigo Lápis.
    1 abç
    PS: o polvo já iniciou o contra-ataque. Francisco José suspenso por 1.5 meses.

    ResponderEliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.