Do Porto com Amor: É Para Continuar a Fingir?

segunda-feira, 24 de abril de 2017

É Para Continuar a Fingir?


Terminada que está a jornada no que nos diz respeito, só tenho uma pergunta a fazer, com várias terminações possíveis: é para continuar a fingir que...

... o futebol em Portugal é uma competição séria, onde o melhor pode mesmo ganhar?

... os jogadores do Porto têm de se comportar como máquinas sem sentimentos, quando sabem que nem o "treinador" nem os árbitros lhes permitem jogar o que sabem e podem?

... que Nuno Espírito Santo é treinador de futebol com categoria suficiente para a primeira divisão?

... que a direcção liderada por Pinto da Costa (presumo eu) ainda tem condições (capacidade e vontade) para combater e derrotar este sistema mafioso montado pelo #clube dos sem-vergonha?




Se é, está bem, eu aguardo mais quatro jornadas. 

Não tenho a mínima vontade de escrever sobre o jogo de hoje. Quem tiver interessado, que leia a crónica do jogo contra o Setúbal (lá ou cá, tanto faz). Ou contra os #sem-vergonha. Ou contra este mesmo Feirense, Belenenses e Moreirense na taça da liga. Ou contra o Braga. Ou contra o Tondela. Ou contra o Chaves. Enfim, muito por onde escolher.

Exibições sofríveis que ainda assim geraram oportunidades suficientes para ganhar cada um desses jogos, houvesse arbitragens minimamente isentas. Pronto, é isto. 


Notas DPcA 

Dia de jogo: 23/04/2017, 20h15, Estádio do Dragão, FC Porto - CD Feirense (0-0).

Nota (7): Alex Telles, Danilo, Otávio
Nota (6): Iker, Maxi, Felipe, Marcano, Jota
Nota (5): André André, André Silva, Soares, Rui Pedro, Herrera
Nota (4): Óliver
NES (3): Não consegue pôr a equipa a jogar com objectividade, não conseguem motivar os jogadores para não abdicarem da primeira parte, não consegue mexer no jogo com as alterações e, principalmente, não consegue preparar mentalmente a equipa para acreditar apesar das arbitragens. 

Ponto único a seu favor: tem uma quota-parte muito reduzida de responsabilidade nas arbitragens (pequena parte essa que tem a ver com a postura lamentável que manteve durante quase toda a época, preferindo ficar bem na fotografia da corte do que apontar o dedo à miséria que nos foram causando, jornada após jornada).




 
Outros Intervenientes:


Parabéns ao Feirense pela manutenção. Para o ano, a ver se também se esforçam por jogar futebol.

Este Rui Costa é um daqueles que nunca, jamais, deveria ter chegado ao topo da arbitragem. Sem postura, sem critério, fraco técnica e disciplinarmente. Chegou onde chegou por ser irmão de um ex-árbitro, nada mais. Mesmo não sendo um dos acólitos dos #sem-vergonha, conseguiu apitar ao mesmo nível. Dois penaltis clamorosos (sobre Otávio aos 48' e sobre Marcano aos 73'), qualquer um deles suficiente para garantir os três pontos (os dois juntos, ainda mais) e outro duvidoso já nos descontos (bola na mão ou mão na bola). Muita lenha fogaceira sem castigo adequado, demasiado tempo perdido sem a devida compensação. Mais um a espetar a faca no Dragão (que eles querem) moribundo. Fica registado.


- - - - - - - - -


Eu preferia que o meu Clube tomasse uma posição definitiva e radical, como se recusar a disputar os jogos que faltam. Descíamos de divisão? Que fosse. Os craques iam embora? Faríamos outros. Mas o Mundo ficava a saber, talvez até quisesse saber porquê. Talvez a própria UEFA, tão embaraçada por todos os escândalos que se têm produzido no seu ventre, se sentisse compelida a intervir. Talvez.



Mas temo que no meu Clube se continue à espera que pare de chover, passando por tolos encharcados. Continuemos a fingir, pois. Já falta pouco.


- - - - - - - - -


Nota Importante

De hoje em diante, e até que a situação mude, passo a tratar este Benfica e todos os seus apoiantes como #sem-vergonha. Porque é o que eles são. Desde a liderança composta por burlões, traficantes de estupefacientes (não confundir com estúpidos, que é uma actividade paralela) e criminosos violentos a todos os que os patrocinam e se congratulam com os resultados obtidos. 

Eu tenho, tinha, muito respeito pelo clube, enquanto maior adversário e grande instituição que é(ra). Rival eterno, mas com o respeito típico de um (adepto de um) grande que sabe admirar outro grande.

No entanto, desde que este caloteiro vigarista é presidente, a maneira de actuar, a forma desonesta que encontrou para voltar a ganhar, não merece o mínimo respeito de ninguém. Repito, de ninguém, seja qual for a cor clubística. 

Quem festejar este tipo de "vitória", é igualmente vigarista. Quem quer respeito, que se dê ao respeito. #Sem-vergonha, todos eles, os que fazem, os que apoiam e os que festejam assobiando para o lado. 

Ah, e os burros também. Aqueles que se atrevem a dizer "joguem mas é à bola", quando a sua equipa há meses que não joga nada e só tem os pontos que tem à custa de arbitragens vergonhosas e crimes sem castigo.

Por mim, até abdicava do futebol, se começasse a fazer justiça pela própria Justiça.



Do Porto com Amor,

Lápis Azul e Branco




48 comentários:

  1. Sim, é para continuar a fingir. A dúvida é se não estamos a fingir sozinhos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sozinhos não estamos. Do treinador para cima, garantidamente.

      Eliminar
  2. Respeito a tua opiniao!!Gosto muito de visitar o Blog...Nao sou um sem vergonha,nunca fui,nem serei...se tens provas que o Benfica manda nisto tudo,sabes onde tens que ir,prefiro perder a ganhar com batota..Acho que tu tambem es serio,e preferes perder a ganhar com batota...Acho que o teu texto,tambem serve para o presidente de FC Porto!!E estou seguro que sentes o mesmo nojo de todas essas Victorias,com batota..tanto ou mais como sentes hoje em día!!Nao sufras mais,é só Futebol..Se tens uma vida plena,o futebol só vai representar o 0,001% do teu estado de ánimo...
    Abraço
    Clau

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva Clau, seja bem-vindo - quem vem por bem, é sempre bem-vindo aqui.

      As provas são as evidências que se comprovam jogo após jogo. E tudo o que se vai desfiando desse novelo de corrupção e tráfico de influências. Está tudo à vista, é tudo público, só não encontra quem não quiser.

      Não tenha dúvidas que não aceito ganhar a qualquer preço. Dentro do campo, exijo tudo dos meus. Fora dele, exijo imparcialidade.

      Quanto a essa lenga-lenga da fruta, a minha resposta é sempre a mesma: tenho a felicidade de ter assistido a todo o período áureo do Porto de Pinto da Costa e de uma coisa tenho a certeza - tivemos sempre as melhores equipas dentro do campo (não os melhores plantéis, mas as melhores equipas). Digo-o com convicção e sem dúvidas, porque assisti a quase todos os jogos do Porto. Ganhámos o que ganhámos por sermos melhores, dentro e fora de Portugal - o oposto do que se passa hoje.

      Um abraço Portista e agradecido pelo respeito, que obviamente é recíproco.

      Eliminar
  3. Tudo isso é verdade. Esse clube de trapaceiros controla isto tudo, com a conivência de todos os poderes: politico, económico e mediático.
    Os árbitros têm o comportamento de NES. Sabem onde está o poder e só se preocupam em manter o seu "tachinho" para que não hajam portas fechadas.
    Culpados também somos nós. É verdade, gostamos muito de Oliver e André filho que não têm lugar nem no Tondela, Acham(os) que NES "recuperou" Brahimi,(que não era um Messias), trandsformou-o num outro jogador ostracizando-o. Com isso ganhou uma equipa, dizia-se por aí!!!?? Não se terá perdido um campeonato, com essa teimosia do treinador, um filme que vimos demasiadas vezes em ano e meio? As responsabilidades estão muito repartidas, incluindo sócios e simpatizantes que idolatram alguns mecos e têm ódios de estimação por outros. No departamento de futebol e na comunicaºão, injectou-se competência, é tempo de na área técnica e nos profissionais que servem o clube, se tenha o mesmo critério.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será que se vislumbra uma ligeiríssima crítica a quem dirige o Clube? Seria uma estreia :-)

      Eliminar
    2. A quem dirige o clube, continuo muito reconhecido. Rasgou a direito no Departamento de Futebol, rasgou a direito na comunicação. Não pode ser fuzilado por rasgar a direito em meninos mimados que custam muitos milhões e que os simpatizantes idolatram, só porque sim.

      Eliminar
    3. E o que me diz à postura do presidente consubstanciada nas palavras "não falo sobre arbitragem", que coincidiram com o tremendo roubo de que fomos e estamos ainda a ser vítimas?

      Eliminar
    4. Como portista dos sete costados, mas longe de ceder à tentação da violência verbal que se vai lendo um pouco em todo o lado, considero que esta aparente mudança de ciclo no futebol português se explica em 3 ou 4 pontos:
      1) Sem acordo com o Guttman para poder voltar a vencer na Europa do futebol, o Benfica lá convenceu o espírito do Salazar a trazer de volta o velho regime no futebol português em nome do clube do seu coração.
      2) A estrutura directiva do Porto, que há seis anos está em declínio, não soube perceber a mudança dos tempos e a necessidade de adaptação do discurso ao futebol moderno, onde a grandeza hoje grangeada pelo nosso clube mundo fora exige uma postura mais proactiva do que reactiva, mais pacifista do que belicista, sob pena de um dia voltarmos a ser todos e vistos como o símbolo de uma região e nada mais. Quanto ao sr Pinto da Costa, embora profundamente grato pelo grande futebol e incontáveis títulos desportivos que nos ofereceu, acho que poderia e deveria evitar a eternização do poder dentro do clube (cheira-me alguma familiarização desse poder!) retirando-se pela porta grande (ainda grande mas já não tanto) e emprestar um refrescamento ao clube, claramente necessitado de gente mais jovem, com uma visão diferente do futebol, física e mentalmente disponível para devolver o clube à senda dos títulos. Não entendo o crescente passivo do clube, quase em pré-falência, e muito menos entendo comissões chorudas muito mal explicadas, claramente melhores para os bolsos de alguns do que para as Finanças do clube.
      3) Com um NES exibindo um discurso bem mais virado para as dioceses do que para o futebol,mais preocupado com a imagem de fairplay que transmite para fora do que com a necessidade de dar uns valentes murros na mesa virados para dentro, tacticamente muito conservador, sempre a falar na construção de uma grande equipa que, sabemos, no final da época vai ser desmantelada, como podemos esperar que o espírito de vitória se enraize em cada jogador? Aparentemente só meio discurso passa para os jogadores pois, pelo que se tem visto ao longo da época, a equipa dá sempre 45 minutos de avanço aos seus adversários.
      Meu amigo, embora este ano os roubos de que temos sido vítimas sejam de igreja e de catedral, a verdade é que com uma Direcção, uma equipa técnica e jogadores verdadeiramente envolvidos na causa Porto, por mais penaltis que nos escamoteassem os 3 pontinhos estariam quase sempre do nosso lado.
      Este é o meu sentir e nada mais. Um forte abraço a toda a comunidade draconiana.
      Paulo Caruço

      Eliminar
    5. O Presidente esta cansado de saber que a berraria só torna os animais ainda mais raivosos. A chave está sempre dentro do campo. Dar os meios a quem de direito para que seja aí competente, é a sua responsabilidade e tem cumprido. 6 milhões para o avançado que resolveria. Mais 6 milhões no defeso para o tronco indispensável. 20 milhões para a tartaruguinha com lugar cativo que toda a gente reclamava. Que mais se lhe pode exigir?

      Eliminar
    6. @Paulo

      Antes de mais, seja bem-vindo.

      Percebo e respeito por inteiro o seu ponto de vista, mas repare na "contradiçãozinha" que ele encerra: no ponto 2, advoga um clube "mais pacifista do que belicista", para no ponto 3 se queixar da "frouxeza" deste pseudo-treinador. Concorda?

      Quanto ao ponto 2, eu também partilhei dessa opinião - e ainda partilho, mas em modo "agora não é possível". Há vários (muitos?) anos que defendo uma nova forma de estar do Clube, mais inclusiva e universal, mas num contexto onde as competições são asseguradas de forma isenta. Hoje, simplesmente não é possível. Ter essa postura é ser "roubado" e gozado por cima. Hoje, só mesmo voltando às trincheiras, até que este polvo corrupto seja extinto.

      O que nos leva de novo ao segundo ponto. É preciso sangue novo a liderar o Clube (novo em idade mas sobretudo nas ideias - nada de monarquias ou pior).

      Um abraço e volte sempre.

      Eliminar
    7. @Kosta

      Já que estamos numa de contradições, ora veja lá se detecta mais duas no seu raciocínio:

      1) Se não conseguimos garantir que as competições sejam isentas, de que serve ter bons plantéis e treinadores competentes?

      2) Quem será o negligente incompetente responsável que torrou esse dinheiro em vão, perante o inocente presidente que cegamente lhe deu cheque em branco para fazer o plantel?

      Não, meu caro, entre os vários defeitos que vejo na actuação do presidente, garantidamente que a inocência não é um deles. Tudo foi obviamente feito com o seu beneplácito. Não há como isentá-lo, nem dos sucessos, nem das insucessos.

      Mas já sei o que vai responder. Aguardemos pelo final da época...

      Eliminar
    8. 1 - Os melhores jogadores ganham muito mais vezes e não são necessárias ensaboadelas como a que Messi deu ao melhor do mundo das revistas, recentemente em Madrid.
      2 - Não interferência na área tecnica e fornecer os meios por estes solicitados. Nem sempre deveria assim ser, pois percebe mais de futebol que grande parte dos que por cá passaram, mas enfim. O "ai valha-nos Deus que seria se mandasse uns bitaites nessa área".

      3 Inocente é otário e isso garantidamente que não o é. Nos sucessos e insucessos, nunca fugiu. Nunca aceitou cargos de senador, mesmo quando estava nos píncaros da Lua e não conheço ninguém que goste mais que o seu Clube ganhe do que Ele.

      Eliminar
  4. Sempre tivemos de ser muito superiores aos outros, pra conseguir vencer, todos deviam saber isso. parece que os jogadores, treinador e direção andam a dormir, isto sempre foi assim, só que dantes conseguíamos superar a roubalheira com qualidade de treinadores e jogadores, com jogos bem conseguidos e com plantéis equilibrados e com mais soluções que o atual...A grande diferença era essa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ricardo, estes jogadores já não sabem disso - nem têm obrigação de saber! Nós só temos de jogar o suficiente para ganhar, não o dobro ou o triplo disso! É já tempo de pôr fim a essa vigarice.

      E não acho que o plantel não seja bom - é mais do que suficiente para ser campeão.

      Já quanto ao treinador, não há dúvidas. E quanto à direcção, ainda menos.

      Abraço Portista

      Eliminar
    2. Só temos que jogar o suficiente para ganhar? Pelo contrário, temos mesmo que jogar o dobro ou o triplo dos outros para que, descontando os erros mais ou menos propositado dos árbitros, no final dos 90 minutos mais o desconto de tempo improvisado ainda tenhamos 1 golo a mais que os nossos oponentes.
      Paulo Caruço

      Eliminar
    3. O que eu quero dizer é que tem de deixar de ser assim. Não podemos nós próprios continuar a aceitar essa realidade. Temos de exigir tratamento igual, nem melhor, nem pior do que os outros.

      Eliminar
  5. Os heróis da fruta, quinhentinhos, viagens para o Brasil, Cosmos people, aconselhamentos matrimoniais, FPF do nandinho das facturas, Proencinha amigo cão para todas as ocasiões... ahahah. Vcs vergonha não têm nunhuma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A quem vem por bem, dou-me ao trabalho de refutar.

      No seu caso, apenas mais um qualquer sem-vergonha, limito-me ao copy/paste (procure no google, há dicionários gratuitos):

      "tenho a felicidade de ter assistido a todo o período áureo do Porto de Pinto da Costa e de uma coisa tenho a certeza - tivemos sempre as melhores equipas dentro do campo (não os melhores plantéis, mas as melhores equipas). Ganhámos o que ganhámos por sermos melhores, dentro e fora de Portugal. P.O.N.T.O. - o oposto do que se passa hoje com vocês, os #sem-vergonha."

      Eliminar
    2. kkkkkkkk mais uma piada

      Eliminar
  6. Eu, como adepto, confesso que para mim já chega, desisto e atiro a toalha ao chão.
    Não vale a pena sofrer jornada após jornada por um treinador com um discurso enfadonho e repetitivo, um treinador que desde o início nunca soube manter um onze base, que insiste em pedir ao melhor ponta de lança português de nome André Silva, que jogue como extremo, pondo assim a equipa a jogar só com 10.
    Um treinador péssimo a mexer no jogo, raramente acertando nas substituições, um treinador que nunca, repito, nunca conseguiu aproveitar os deslizes do SLB, para reduzir distância ou até para passar para a frente do campeonato.
    Um treinador que empatou no nosso estádio contra “colossos” como o Feirense e Vitória de Setúbal, e fora com Braga, Paços de Ferreira, Belenenses, Vitória de Setúbal e o Tondela.
    Um treinador que oferece sistematicamente os primeiros 45 minutos ao adversário.
    Um treinador que eu, desde o dia da sua contratação, disse que não tinha estofo nem conhecimento para ser treinador do meu clube, infelizmente tinha razão e o SLB sempre irá conseguir o seu inédito Tetra.
    Mais uma péssima escolha de Pinto da Costa, mais um ano a ZERO títulos.
    Bolas, como estou desiludo, tão desiludido, com a porcaria desta SAD que o desgoverna!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tudo verdade, caro Valdemar, mas repare como muitas dessas exibições medíocres teriam acabado em vitória não fosse pelos erros arbitrais. E como tudo seria diferente se jogássemos assim tão mal mas estivéssemos à frente com 5 ou 6 pontos de avanço. Um mundo de diferença...

      Eliminar
  7. Até poderia concordar, mas contra Vitória de Setúbal e Feirense, por ex, não deveriam ser precisos penaltis para decidirem os jogos, pois são equipas muito fraquinhas. A desculpa da arbitragem começa a ser muito esfarrapada, pois a qualidade do nosso futebol é má. muito má a roçar o péssimo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não pretendo desculpar as más exibições com as arbitragens. São más, ponto. E não deveriam ser.

      Mas também não quero que se desculpe os pontos perdidos apenas com as más exibições! Num mundo ideal, gostaria de ganhar sempre com grandes exibições, mas no mundo real aceito ganhar quando fazemos o suficiente - e fizémos sempre o suficiente, porque lances de penalti são decisivos, existiram e não foram marcados!

      Se fosse num jogo ou noutro, aceitava. Erros arbitrais, acontece. Em tantos jogos, tantas vezes, já não pode ser coincidência - é dolo.

      E depois há o factor psicológico: quem não joga bem mas é levado ao colo nas horas difíceis, acaba por ganhar confiança e jogar melhor. Quem é empurrado para baixo, fica sem tranquilidade, começa a duvidar das suas capacidades e joga ainda pior. Isto não é subjectivo, é da natureza humana.

      Abraço

      Eliminar
    2. pois, a questao e' q a equipa lider tb nao joga um boi pra nao dizer outra coisa, mas tem spre o tal penaltyzinho que ajuda e mto! e no final ng se vai lembrar que nao jogaram um boi!
      no entanto ha q lembrar que se nos deixamos ser "comidos de cebolada", foi pq o nosso querido mister preferiu ser um diplomata da treta com o pensamento a q no futuro possa treinar todos os clubes do q defender o nosso! essa 'e a (ggrande) cota parte de culpa do NES

      mas convem nao fugir do tema em que se tivessemos os penaltys q deveriamos ter tido assinalados, estariamos em primeiro e ng falaria de mais nada...
      manu365

      Eliminar
  8. O FC Porto tem 1 problema semelhante ao da minha equipa (Sporting) que é no meio-campo... tem jogadores com pouco músculo e não abunda a criatividade. A diferença é que o Porto tem 2 bons laterais (apesar de Maxi estar a dar as últimas sempre é melhor que Scheloto; Alex Teles é de grande qualidade, nós temos Jefferson e Marvin que para o Estoril até desenrascam mas não num clube que quer vencer troféus). E aí também reside o facto de o Porto estar melhor classificado que o Sporting.

    O Sporting tem um meio campo frágil e também foi por isso que nunca conseguimos controlar e dominar o jogo contra o Benfica que tem jogadores + robustos no meio campo e já c/ alguma experiência nestas decisões.

    Em relação às arbitragens, bem isso não se pode controlar, são más sem dúvida, mas o que se pode controlar é a construção do plantel, o Sporting teve um péssimo planeamento de época, o Porto melhorou um pouco em relação À temporada transata mas ainda não chega para um 1º lugar.

    Os vermelhos vão ser tetra-campeões c/ relativa facilidade e podem estar a construir um domínio claro no futebol, difícil de parar. Eu pessoalmente não acredito que o Sporting possa voltar a conquistar o título, tivemos domínio do Porto, agora do Benfica, e nem 1 mísero título conseguimos arrecadar nesse período de 15 anos. E o Porto já não é o que era, sejamos francos. Eles vão se juntar ao grupo dos que foram tetra e se não existirem mudanças, tanto nos órgãos de decisão do futebol português como na preparação mais rigorosa das equipas que lhe podem fazer frente, muito dificilmente eles não igualarão o Porto no penta, mesmo com um treinador fraco (não mudo a minha opinião) e um ou outro jogador que não é nada de especial.

    Saudações leoninas,

    Aracaçu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas Aracaçu

      Começo logo por discordar: não se se pode como são muito bem controladas as arbitragens! Duvida? Pelo sistema de "progressão na carreira" e pelo próprio "critério" de recrutamento se chegou a onde hoje estamos.

      Não tenho nenhuma dificuldade em reconhecer as falhas do meu clube (sobre o seu não opino, por falta de mais informações), mas a ideia-chave que não há como desmontar é sempre igual:

      Mesmo com todas as deficiências de planeamento e execução, o Porto seria líder isolado deste campeonato se os erros arbitrais estivessem distribuídos pelos grandes de forma equilibrada. E seria sem dúvida campeão. Tal como no primeiro ano do Lorpa. E em vários outros, como o do túnel e o estorilgate.

      Essa conversa, muito querida dos meus consócios, de que temos de ser muito melhores para ganhar, tem de acabar! Não temos nada!

      Desculpe não discutir agora os plantéis, mas o tempo ainda não chegou. Terei todo o gosto em fazê-lo após o final desta farsa a que os sem-vergonha chamam campeonato.

      Abraço Portista

      Eliminar
  9. Mal acostumados, é o que vocês são!
    Também tratava o FCP por sem vergonha no tempo da fruta?
    Haja coerência, no mínimo, pedir decência, certamente, já era demasiado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso quer dizer que considera que hoje os vermelhos controlam, usando as mesmas armas que considera que os azuis usavam na altura? EU simplifico: está portanto a admitir que está tudo comprado, certo? Nesse caso, o autor do post está certo. E você tem falta de vergonha. Com todo o respeito e na maior decência, pois claro.
      A menos que o problema sejam as moças. Desde que não meta moças, é tudo bastante decente. É isso?

      Eliminar
    2. O que é o tempo da fruta? Pior do que papagaios avençados, a maioria dos anti-Porto são papagaios acéfalos, porque nem sequer se dão ao trabalho se pensar no que repetem até receber a bolacha.

      A minha resposta está dada acima e abaixo. É só ler e argumentar contra, se conseguir.

      Eliminar
  10. Completamente de acordo. Não jogamos bem, mas jogamos o suficiente e a dualidade de critérios, seja no calor do jogo, seja no frio das sombras, existe e altera a justiça do jogo. Já não é de hoje e infelizmente não vejo quando irá parar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é precisamente isto por que a corja de acólitos que poluem os media se esforça tanto para enterrar. Esta é a verdade dos factos. A única.

      Parará quando alguém a parar, não antes disso. Daí eu preferir que se ponha o futebol de lado e se comece por desinfectar a própria Justiça da muita erva daninha que por lá floresce.

      Eliminar
  11. Andamos a fingir a 35 anos,porque parar agora?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora bem, com esse nickname, tenho de começar por lhe pedir que não me assassine, se não for pedir demasiado.

      Quanto ao comentário, deixe-me ser solidário consigo - eu percebo bem que ande à 35 anos a fingir:
      - a fingir que o Porto não foi, de longe, a maior potência futebolística do país durante 3 décadas;
      - a fingir que as 2 Taças dos Campeões, a Taça UEFA, a Supertaça Europeia e as 2 Taças Intercontinentais e as dezenas de títulos nacionais não existem;
      - a fingir que o seu Benfica só não faliu porque o Estado lhe deu a mão;
      - a fingir que o seu Benfica não caiu na infâmia e na imoralidade, liderado ora por burlões, ora por incompetentes, ora por traficantes de narcóticos;
      - e a fingir que o seu Benfica não era o clube do regime e não ganhava por decreto, antes destes 35 anos

      Eu percebo-o bem, acredite, deve doer muito mesmo. Mas nem isso justifica que agora queiram fazer regressar os títulos por decreto. Esse comboio já descarrilou.

      Seja como eu, esforce-se para conseguir aceitar que deve ganhar o melhor.

      Eliminar
  12. A chancela da nossa imensa superioridade e da justeza dos nossos títulos, nacionais e não só, é que ganhavamos, goleavamos, apesar de árbitros como Carlos Valente, António Rola, Duarte Gomes, Pedro Henriques, Paixão, Pedro Proença, João Ferreira.... e demais corja bafienta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizmente há arquivos de vídeo. Não há melhor prova do que os próprios jogos. É só ver ou rever, para quem for mais esquecido.

      Eliminar
    2. É verdade. Há videos e trofeus que se conquistaram para o provarem, No tempo em que tinhamos bons planteis, bons treinadores (embora só o Presidente acreditasse) e já existiam os Ferreiras, Proenças, Xistras, Paixões, Duarte Gomes..., por outras palavras, havia cólinho, as competiºões não eram isentas, mas goleavamos esses vermes. Contra tudo isso e fazer de treinadores como Fernando Santos, Jesualdo Ferreira e Vitor Pereira, campeões, diga lá se não é uma proeza só ao alcance de predestinados.
      Mais, quase conseguiu que Lopetegui e NES vencessem!!!! Isso torna-lo-ia imortal, pois é muito mais dificil que acertar no Euromilhões.:)))

      Eliminar
    3. Haver, havia (colinho)... mas não era assim, nem nada que se parecesse.

      Eliminar
  13. Carissimo. Antes de tudo de identifico-me benfiquista.
    Todos têm direito á sua opiniao, mais ou menos comprovada, mais ou menos convicta.
    Lamento denotar no seu artigo, pelo nivel de linguagem e termos usados,um nivel de ódio e raiva que o coloca ao nível dos que tenta adjetivar.
    Comneste blog e este tipo de artigos passa a ser uma peça integrante daquilo em que se tornou o nosso futebol. Lamento.

    Cumprimentos,
    Pedro Melo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caríssimo

      Talvez tenha a inocente ilusão de que apresentando-se bem "falante" ganha algum tipo de superioridade intelectual. Não ganha. Aliás, deixe-me ser bem directo: esta sua postura é ainda pior do que a do típico burgesso que só vomita "fruta e café com leite e viagens para o Brasil", porque nem sincera consegue ser.

      A vã tentativa de me tentar nivelar pelos burlões traficantes de influências (e algo mais) e respectivos influenciados não passa disso. Teria de dedicar o restante da minha vida ao crime para me aproximar desse nível, e não me apetece.

      Quem mais lamenta sou eu, que se atreva a vir aqui esboçar uma qualquer superioridade moral absolutamente oca, sem começar pelo essencial: reconhecer a viciação deste e dos anteriores campeonatos mais recentes. Isso sim, seria um primeiro passo para acabar com "aquilo em que se tornou o nosso futebol".

      Sem isso, é apenas mais um "sem-vergonha" - assim, com todas as letras, a que ainda acrescento "convicto", o que agrava de sobremaneira a sem-vergonhice.

      Cumprimentos,
      Lápis

      Eliminar
  14. Meu caro Lápis, também eu não tenho vontade de escrever o que seja perante mais uma desilusão, quer sobre a prestação do FC Porto, quer sobre mais uma habilidosa arbitragem em prejuízo do FC Porto, de tão repetitivas. Não estando em causa a minha fé Portista, procura agora dar sentido à palavra acreditar. Ocorre-me apenas o estafado " matematicamente nada está perdido"... Pois seja e...

    FC PORTO SEMPRE

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  15. A tua cronica é muito má.
    Que culpa tem o Glorioso de nas ultimas jornadas empatares 4 em 5 jogos?
    E a culpa é do Benfica?
    Respect!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Man, bué da nice! Muito agradecido pelo elogio.
      A culpa é da má qualidade do preservativo, man!
      Yá, enrola aí mais um!

      Eliminar
    2. Tem razão, sim senhor. Para além das nossas culpas, foram cúmplices os senhores Oliveira, Xistra, Miguel e Costa.
      Há cartilhas que insistem num Ferreira. UM! Nisto dos apelidos, estamos uns 10 anos atrás...

      Eliminar
  16. É engraçado ver o nível do pessoal do regime que vem cá comentar. Não tinha pachorra para responder, mas agradeço a dedicação. Também dá pra vermos que o facto de terem milhentos encartilhados a repetir os termos "fruta", "café com leite", "apito dourado" e etc, isto tudo sem concretizarem mais nada, leva a uma lavagem cerebral ainda maior que no tempo de goebles. Sou eu que digo.

    Abraço.

    Pedro Santos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É a minha vocação evangélica, Pedro. Não dou a outra face, mas levam com argumentos na tromba :-)

      Eliminar

Diga tudo o que lhe apetecer, mas com elevação e respeito pelas opiniões de todos.